foto do blog MDDE

Como prometemos essa é a segunda parte da nossa entrevista com a Grazi do Meu diário de Estilo. (a primeira está aqui)

No domingo, dia 23 de janeiro, conversamos tanto que perdemos a noção do tempo. Esse papo bom tomou diversos rumos, mas o assunto principal ainda foi moda e estilo.

Achamos bacana ela citar, além da Iriana e da Be Rock, lojas de departamento como a C&A e a Renner. Isso mostra que é possível se vestir bem e comprar de maneira econômica. (Dê uma olhada nesse lindo look baratinho que ela montou)

Porém, estilo envolve muito mais do que as roupas que você coleciona no armário; estilo também é aquilo que você escuta, lê e assiste.

A música sempre influenciou muito a moda, até hoje é possível identificar na rua alguns estereótipos que transparecem isso, mas o mais legal é misturar e interagir com os mais diversos estilos de música e roupa.

Quando perguntamos para Grazi o que não sai do seu Ipod ultimamente, nos surpreendeu a variedade. “Eu sou de fases e extremamente eclética no meu gosto musical, mas no momento não paro de escutar “Waiting for the End” do Linking Park, “Ready to Start” do Arcade Fire, “Teach me how to Dougie”, do Cali Swag District. Para acalmar, qualquer coisa do Badly Drawn Boy e do Doves funcionam pra mim

Isso também transparece na hora de se vestir, já que “A música é uma ótima trilha sonora na hora de se vestir, ela pode te inspirar e dar o tom do look que você escolhe.”

E o que você lê?

A coleção Millennium tem sido companheira da Grazi. Ela já está no último livro e comentou sobre a versão cinematográfica. “Gostei bastante dessa versão sueca e do ritmo que só o cinema europeu tem”.

Dizem as más línguas que a versão americana vai ter um final diferente. “Acredito que a produção do filme deve ser boa, o que eu ouvi falar a respeito da escolha do elenco eu gostei ( O Daniel Craig no papel do Mikael Blomkvist e a novata, Rooney Mara, que fez a Rede Social  fazendo a Lisbeth Salander). Mas não acho legal esse negócio de um final diferente. Pode até dar um resultado final bom, mas vai ser outra coisa.” 

E já que entramos no cinema, perguntamos qual filme marcou sua vida “Lost in Translation” da Sophia Coppola. (achei a cara dela!) A Grazi também fez questão de citar outros diretores e filmes, que como na música, demonstram que seu gosto é super diversificado. “desde Blade Runner e Quinto Elemento até Orgulho e Preconceito e Vicky Cristina Barcelona. Alguns dos meus diretores preferidos são o Almodovar e a Sofia Coppola. É dela um filme que eu adoro e me marcou muito, Lost in Translation.

É claro que falando tanto de estilo, não poderíamos deixar de perguntar sobre o make, afinal essa é uma parte fundamental de qualquer look.



Ela nos disse que tem uma rotina bem básica, “Pra começar, lavo o rosto de manhã com Cetaphil e passo protector 90 da Avéne. Depois, uso o corretico Clé de Peau, na cor Ivory, em alguns pontos do rosto, como embaixo dos olhos e algumas sardas mais empolgadas. Pra realçar meus olhos, que são bem pequenininhos, uso o rímel Hypnôse Drama, da Lancôme e o lápis Rosemary & Thyme, um verde musgo metalizado bem legal, da MAC. Pra dar uma cor nas bochechas uso blush na cor Brit Wit. Na hora de escolher o que usar na boca as opções são maiores. Às vezes uso apenas um balm pra hidratar, ou um batom cor de boca – nesse caso, meu escolhido é o Cosmo da MAC. Quando a produção pede alguma coisa a mais, gosto do Russian Red, do Morange e do Pink Noveau, da MAC também.”

Lista anotada meninas? Estou já pensando qual deles será minha próxima aquisição.

E aí meninas, gostaram?

Esperamos que sim! E podem aguardar novas entrevistas e novidades.

Vocês gostariam de sugerir alguém em especial? Mande um email para o DAC


(é claro que ia colocar o clipe do arcade fire pq eu tb amo de paixão!)