Com a ajuda da minha amiga Fernanda Leomil, registrei outro look que usei para trabalhar. Hoje não precisei sair da redação, então pude usar um vestido.

E esse tempo esquizofrênico que está fazendo em Santos, hein? A gente sai de casa com o maior sol e volta (eu chego por volta das 22 horas) passando frio. Então, joguei a meia-calça pra esquentar o visual.
Muita gente me pergunta onde comprei esse colar. Até no elevador já recebi a questão! Brinco que é o meu crachá para ir em lugares em que ninguém me conhece, para poupar constrangimento a todos os envolvidos. Ninguém pode alegar que não sabe meu nome. Ex: festa de aniversário dos filhos do chefe do meu marido.
Enfim, encontrei ele na Daruma do Gonzaga e paguei R$ 18. Tem que dar sorte de encontrar seu nome. No dia em que fui lá, com a Fernanda e a Nathalia, só eu consegui levar um.
Essas fotos foram feitas lá no prédio do jornal onde trabalho. Adoro esse clima industrial das antigas…
Ao look: vestido de linha Mango França (ganhei de presente da mamãe), meia fio 80 Lupo, botas Moleca, bolsa Arezzo. Além do colar de nome, estou usando um de cerejas da Carol Mollianni. Essa designer tem peças até em novela da Globo e é aqui de Santos.
Vocês não têm noção do conforto dessas botas!! Usei elas muito o inverno todo, dá pra ver pelas laterais gongadinhas, né?
Me senti praticamente uma plus size model caiçara fazendo essas fotos. Adorei!